quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Diga SIM!



















Essa história é baseada em fatos reais.
Era uma dessas quartas-feiras, em que você acorda na bad e aceita que seu dia vai ser uma merda mesmo até a hora de dormir. OK. Fui levando assim meu dia assim até que o pico do bebeto bateu no meio de uma aula do curso que eu to fazendo. Levantei na hora que as lágrimas começaram a cair e fui no supermercado mais perto comprar uma pizza pra afogar minhas mágoas. Outra coisa que tinha me deixado mal é que uma amiga que há muito tempo eu não via, tinha furado de me encontrar no dia. 
Mas quando eu saio do supermercado, uma mensagem dessa mesma amiga aparece:
"Oi! Pilhei de sair, vamos?!"
Olhei pra pizza, olhei pra mensagem. Huumm... já tinha aceitado meu destino trágico do dia, mas pensei duas vezes: "engordar em casa sozinha e triste ou tomar um chopp e rir um pouco?" Meu emocional idiota bem que queria ficar em casa sofrendo, mas fui racional e decidi tentar ser um pouco mais feliz no final daquele dia.
Chegando no barzinho, o plano era ficar lá uma horinha e depois partir para uma festa SUPER aleatória, mas que era quase de graça e ali do lado. Ficamos então conversando entre os chopps e eventualmente começamos a falar sobre homens. Como sempre, concluímos que os da nossa idade são uns imaturos egoístas, que somos muito melhores do que eles e que estamos fudidas. E com isso voltei a ficar na bad. Por mim nem ia mais nessa tal festa e já ia direto pra casa dormir pra esse dia acabar logo. Mas minha amiga super pilhou de esticar pra festinha.. então pensei: "Ir pra casa dormir triste e desiludida ou tentar cair no sono depois um pouco mais alegrinha?" Mais uma vez usei meu lado racional(o que é raro mas graças a Deus ele ainda dá suas caras de vez em nunca) e fui pra festinha.
Chegando lá, SÓ GRINGOS. Claro né. Quem é que sai dia de semana quase meia noite para uma festa? Quem tá de bobeira, pode acordar tarde e tal. E eu não curto gringos, e muito menos estar no meio deles e pagar de brasileira piranha que só tá lá pra pegar gringo. Aquele esteriótipo escroto, sabe? Então comecei a me sentir bem desconfortável, mas já que tava lá né, foda-se e vamos beber.
A meta era ir embora em uma horinha mais ou menos, até porque tinha que acordar cedo pro trabalho no dia seguinte. 
Mas DO NADA me adentra no recinto um grupo de gringos e no meio deles tinha um que eu falei: "WOW." Se alguma coisa fosse acontecer ali, se alguém teria alguma chance comigo, de todos aqueles gringos obviamente bonitos, seria ele. Até porque eu não gosto dessa coisa de beleza propriamente dita. Um bom charme vale muito mais a pena... e esse tinha muito.
Mas ok, já ia embora em alguns minutos, meu dia estava todo cagado, assim como eu, então deixei pra lá. 
Até que um amigo dele chama minha amiga para dançar. E "Opa, é um link!" pensei. Mas ainda não tinha me convencido realmente de fazer algum movimento. Até que minha amiga começa a ir pra fora do lugar com o gringo e num momento de puro instinto, puxei eles e disse:
- Então, porque que você não chama seu amigo pra falar comigo?
Ele veio na hora.
Francês, super interessante, muito gente boa. 
Quando eu vi a gente tava se beijando.

;)

O que eu quero dizer com tudo isso, que é uma lição que eu acho que realmente aprendi nesse dia, é de dizer SIM as oportunidades.
Eu tenho muita facilidade de me sabotar, dizer não por medo, fadiga das coisas... Mas olha o que teria acontecido se eu não tivesse dito SIM, mesmo querendo dizer não?!
Eu teria ido pra casa comer pizza e dormir com lágrimas nos olhos.
Ao invés disso, ri, me distrai, conheci uma pessoa super legal e só dormi 3 horas IF YOU KNOW WHAT I MEAN ;)

Então piriga, se suas amigas te chamarem pra sair, se aparecer uma festa aleatória, ou até mesmo fazer coisas e tomar atitudes que você geralmente não faria ou tomaria, vá em frente! Não fique com medo, não fique com preguiça, dê uma chance pra vida :)

domingo, 18 de novembro de 2012

Futebol e Piriguetchyação



É isso aí, meu povo! Ainda não acabou o Brasileirão 2012, mas já temos um campeão: Fluminense, mais conhecido como FlorminenC (homenagem ao maior tapete da história do futebol brasileiro: a subida da série C pulando a série B). Mas enfim, não vim aqui pra falar disso, e por incrível que pareça também não vim falar dos cafuçus dignos das Laranjeiras, tipo Fred ou Rafael Sóbis. Este post é uma analogia entre o panorama das nossas vidas e a vida dos nossos clubes de coração. Muitas vezes isso encaixa. Eu por exemplo, a Cineasta, sou vascaína. Não, não estou em segundo lugar em nada, nem vem! Mas é que o fim de ano do Vascão tá bem parecido com o meu: 2012 já acabou, já foi, já deu o que tinha que dar. Não tenho mais nada pra conquistar nessa temporada, assim como o Vasco. É a mesma vibe.

Mas você, cara leitora, deve estar se perguntando do que eu estou falando. É que quando o clube precisa reformular o time pra temporada seguinte, o que ele deve fazer? Contratar novos jogadores, ou não. O centroavante pode ser comparado com o prato do momento. O Fluzão campeão, por exemplo, tá bem de cafuçus de área. Fred bate um bolão, poderia bater lá em casa, inclusive. Mete vários gols, é o artilhheiro, não mete na trave, aproveita todas as oportunidades que aparecem. O Flu tá de boa, não tá precisando contratar ninguém. Assim como várias colegas estão de boa, não precisa se preocupar pra próxima temporada, é só manter o time que tá aí. Em time que tá ganhando não se mexe.

Enquanto isso, outros clubes/colegas tem que se preparar pra chamada janela de transferência, que é quando o mercado da bola/pirigueteação se abre e as ofertas aparecem. A tal janela, no futebol, abre em janeiro. Podemos dizer que a janela da pirigueteação se abre no carnaval. Há uma transferência eventual que pode ocorrer no reveillon. Você pode trocar de rabisco nessa data, mas a probabilidade maior é no carnaval mesmo, pois é quando o mercado está aberto para os “jogadores” estão em circulação, inclusive jogadores internacionais.

Há outra questão sobre a janela de transferência. Há o medo de quem está bem na temporada e que precisa manter a base do seu time. Nossa cara amiga aqui do Manual, Pateta, botafoguense desde a mais tenra idade, está vivendo essa situação: está na briga pela Libertadores, tem um time equilibrado. Precisa só trocar algumas peças. Mas durante a janela de transferência rola sempre o medo de todos quererem um Seedorf pra chamar de seu. Aí tem que ter aquele jogo de cintura pra manter seu centroavante em atividade, rendendo tudo o que pode, sem que ninguém queira tirá-lo de você. Pra isso, faça um contrato bem amarrado. Dê uma “chave” nele, se é que você me entende.

A amiga Pateta tem ainda outra preocupação: os jogadores da base. Ela, assim como o Fogão, vem investindo nas categorias de base. Bruno Mendes, da base do Guarani que foi dispensado, novo goleador do clube alvinegro, tá aí pra provar isso. Dá resultado. Os moleques não tem experiência, mas tem garra, vontade de jogar e principalmente fôlego. É sempre uma alternativa pro clube que precisa de um goleador.

Como eu disse no início, meu Vasco tá tipo eu. Os atacantes já não atacam, os goleadores já não fazem gols. Meus rabiscos já não comparecem com frequência, meus pratos já não giram. Com exceção do Juninho Pernambucano, que é um daqueles que todos querem pra chamar de seu também. Esse vale a pena. Não tem mais muito tempo de carreira, está prestes a se aposentar, mas ainda mete seus gols. É craque por excelência. Por mais que ele jogue por, no máximo, mais um ano, vale a pena. Essa é uma analogia que vale para rabiscos quarentões em geral. De qualquer forma, no meu caso, já tá na hora de planejar a próxima temporada, pensar em novas contratações, ficar de olho no mercado.

Cuidado com os rabiscos avulsos, do tipo mestre dos magos. Esses geralmente demandam investimento e acabam não correspondendo às expectativas. Sabe o Adriano no Flamengo? Então, é tipo isso. O cara falta a treino, vai pra balada e sequer joga. Não rola. Esse é o primeiro a ser vendido quando a janela se abre.

As colegas precisam também avaliar bem seus investimentos. Deveria ter um índice “risco-rabisco”, assim como o “risco-país”, que mede o grau de perigo para um investidor. Mas não tem. Nem no futebol tem. Então vale a observação e comparação. Você pode se supreender. Quer ver? Ronaldinho Gaúcho é feio, não tava jogando nada e foi jogar na cidade com maior número de bares do Brasil. Todo mundo tinha certeza que ia dar merda, só que não. Ele tá jogando muito e levou seu clube pra Libertadores, enquanto o Deco, do Flu, craque da seleção portuguesa, peidou e mais uma vez ganhou um título às custas do Fred, o cafuçu-artilheiro lá do início do post. Ou seja, todo investimento tem uma dose de risco.

O negócio é ficarmos atentas pro mercado da bola/pirigueteação. Afinal de contas, não estamos aqui pra ficar no zero a zero.

Obs.: esse post foi escrito a quatro mãos: Pateta e Cineasta, alvinegras camaradas.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Dúvida da Leitora-Relacionamento Ioiô



"Tive um relacionamento de 1 ano com um cara que era tooodo apaixonado por mim, dizia que me amava, me tratava SUPER bem e a gente tinha uma química do caralh* de boa, mas nunca me assumiu direito como namorada, não fez o pedido, não me apresentou pra family (só para o irmão, e a mãe eu conhecia por telefone). Para as pessoas de fora ele dizia que estava namorando, hj diz que sou EX NAMORADA, mas entre nós dois mesmo sempre ficou claro que éramos duas pessoas que se amavam e queriam estar juntas, independente de compromisso. Aí, decorrido 1 ano tudo acabou, ele parece ter enjoado de tudo, ficou todo esquisito e terminamos.
Logo que terminamos começou a namorar sério, mas só durou 3 meses. Antes mesmo de terminar ele já começou a me procurar, querendo conversar, estar perto de mim, segundo ele.
E isso persiste. Depois que ele terminou de vez com a garota, houveram umas 3 recaídas entre a gente.

Enfim, ele sempre me procura, bebe e me liga de madrugada (eu não atendo), ele sabe que ainda sou apaixonada por ele, diz que quer ser meu amigo e me ter por perto... Isso tudo me deixa muito confusa! O certo não seria ele me querer longe sabendo que gosto dele e ele não quer nada com nada, não quer ficar comigo? Amigas pirigas, clareiem minha mente.
Esse mês fez 1 ano que terminamos e estamos nessa. Minha decisão diante disso foi me afastar totalmente: não atender o celular, não responder torpedo, bloquear nas redes sociais... quem sabe com essa distância eu não esqueço?"

Querida Piriguetchy (que por motivos óbvios pediu pra não ser identificada),
Esse seu ex-namorado está parecendo se enquadrar na categoria Homem Frouxo. Ele ficou com vc 1 ano, sem apresentar pra mãe (isso é meio tenso, apresentar pra família é uma das formas de mostrar que há um compromisso), e agora que tá longe de vc, não quer, claro, te perder. Apesar de provavelmente ele não querer te pedir em namoro e ficar de mimimi casal, ele também quer te ter sempre ali, em uma palavra mágica que nossos homens adoram: disponível.
Por que que ele quer te ter disponível? Simples. Porque é muito mais cômodo ele te ter ali como "amiga", mas deixar sempre aberta a possibilidade de vcs voltarem a se pegar. Sem criar um vínculo forte entre vcs, um compromisso, ele te deixa ali, de stand-by, ao aguardo dele decidir se vai ou não retomar o namoro com vc.

Eu acho que, nessa situação, o melhor a se fazer, em vez de ignorar, é ter uma conversa franca. Perguntar pra ele o que ele quer. Se ele bocejar e disser, ai não sei, ai tô confuso, ai preciso pensar, ai tô atrasado, beleza. Mas manda ele não saber ou estar confuso, precisando pensar ou atrasado na Conchinchina, bem longe de vc. Caso ele diga que não, que pretende voltar contigo, que vai fazer as coisas diferentes, e vc acreditar nele, vá em frente. Mas fique de olho muito aberto! Ele realmente dá sinais de frouxidão, e essa volta pode não durar muito. De qualquer jeito, conversa com ele. É a melhor maneira de resolver esses triquis triquis de relacionamentos indefinidos.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Papo com terapeuta: homens frouxos



Fui hoje para terapia com uma questão: homens frouxos, o que são, de onde vem, como vivem?
Isso surgiu depois de uma amiga contar que um ex-exú veio pra cima dela depois de anos com o papo de voltarem a se falar. Ela falou que tudo bem. E cadê que ele se pronunciou de novo? Outra coisa que aconteceu, e dessa vez comigo, foi de um rabisco ficar num joguinho de pique-esconde escroto. Ele é todo fofo, aí eu correspondo e ele foge. Depois de duas semanas, aparece do nada e começa tudo de novo.

Ficar em cima do muro: meninos, por quê?! Isso é tããão broxante, uma das piores características que um homem pode ter. Falei sobre o assunto com minha terapeuta e ela disse que existe muito disso e que essa frouxidão, esse medo de tomar uma posição, é focada no lado afetivo por que muitas vezes esses homens tem questões mau resolvidas com a mãe ou o pai. Foi ela falar isso pra tudo fazer sentido: os dois meninos em questão tem sim problemas com os pais.

Por isso que eu digo que todo mundo devia fazer terapia. Senão você cresce com várias questões e acaba gerando outras pessoas que se tornam frouxas, covardes, entre outras características. Acaba virando um ciclo sem fim, se ninguém perceber suas neuras e frustrações e não procurar um profissional. Homem ou mulher.

Psicologia a parte, acho que todo mundo já está numa idade em que sabe o que quer da vida e como querem ser tratados. Então homem, se a carapuça serviu em você, tome uma providência para mudar por que covardia dá uma fadiga sem volta. Repito: sem volta. Mulher quando pega nojinho, difícil de voltar atrás. Eu mesma já to cagando pra esse menino do pique-esconde. Sou criança mais não, rapá. Sou mulher e muito gostosa, beijos.

Aliás, esse tipo de rabisco fadiga merecia ser hours concour nesse post aqui...

domingo, 16 de setembro de 2012

Amante Lifestyle



Muitas poderão torcer o nariz, mas não condeno o fato de uma piriga ser a outra, contanto que ela seja solteira e entenda bem a posição em que está se colocando. Não tô falando que a partir de agora você DEVE dar em cima do coleguinha de trabalho comprometido, ou do primo que vai se casar, mas às vezes, pela força do destino acontece. Eu sei, é clichezão, mas é verdade. Você não procura, mas às vezes a onda traz pra você, que nem chinelo perdido na praia.

Se a menina não é sua amiga, você não vai estar quebrando nenhum compromisso nem arruinando uma lealdade. Quem prometeu não ficar com mais ninguém foi ele para a namorada, e cada um sabe de si. Afinal, ninguém é babá para tomar conta de homem alheio. Só quem sabe dos tratos é o próprio casal, e não diz respeito a mais ninguém, então pode ser até que exista uma liberação. Outro dia falamos de poliamor aqui. Vai saber.

Mas essa colocação de ser segunda tem alguns requisitos. Ser a amante é entender que o relacionamento entre você e o rabisco é totalmente por diversão. Vocês dois vão dar muitos beijos, ter bons sexos e só. É muito no esquema "carpe diem", porque você não sabe até quando e se o cara vai querer continuar correndo risco de perder a oficial.

Você é a garota de segunda a quinta, só em alto grau de cafajestagem, ou aleatoriamente, vai ocupar sexta, sábado e domingo. Vai ser a que tem nome de Rafael no celular dele, a que só vai poder responder, nunca ter a iniciativa de ligar, e, claro, se encontrar com ele e outras pessoas ao mesmo tempo vai só dar um belo sorriso e perguntar como vai a família, mesmo tendo passado a noite anterior com o sujeito em cima de você.

Ou seja, não acredite por nada nesse mundo que ele vai largar a oficial por você. Se o relacionamento deles terminar não vai ser porque ele quer só você, mesmo que ele já demonstre estar apaixonado. Portanto, você também não deve abolir os outros pratos. Sua vida tem que seguir como ele sendo mais um. Recomendo até, em caso de constatação de grande envolvimento, que diga que é hora de dar tchau. Quando o amor já está grande sair dessa história fica muito difícil. Sei de casos de tias que são amantes há 30 anos e que por isso nunca casaram ou foram oficiais de ninguém. Se você sonha com esse esteriótipo de felicidade, de casal fiel, o melhor é que ao primeiro sinal de envolvimento amoroso da sua parte que essa aventura acabe.

Mas é claro que nem todo mundo quer a mesma coisa. Nem todo mundo espera entrar na igreja de branco, virgem, sendo entregue para o noivo para se amarem até que a morte os separe. Tem gente que não liga de ser a segunda. O que não dá é para ficarem apontando o dedo para a menina que entra nessa. Se ela tem consciência da situação, ela não é submissa. Ela escolheu isso. Por outro lado também não pode se vitimizar. Se o cara colocou as cartas na mesa ele está sendo bacana.

Eu também posso estar errada e tudo ter um final feliz tradicional. Uma amiga de uma amiga minha curtiu umas boas quartas-feiras até que um dia percebeu que estava ficando afim do cara. Ficou com medinho, disse que era o fim deles, e, por uma ironia do destino, a primeira dama resolveu fazer uma birra e terminar com o cafuçu. Homem, que é que nem macaco e só pula de um galho para outro, se declarou para a esperta piriguetchy e eles viveram felizes para (quase) sempre.

O mais importante sempre é que você esteja feliz. Se estiver de acordo com todas as condições pode ser que tenha uma experiência incrível, cheia de carinho e amor. Tem coisa melhor do que ter a certeza de encontrar um cara que é legal e transa bem de segunda a quinta, e ainda ter toda a liberdade de sexta a domigo para piriguetchyar com outros? Olha que maravilha: vocês podem ser francos um com outro, sem joguinhos, darem boas risadas, e ter muito prazer juntos.

No fim das contas ser amante poder ser bom, só não é para todo mundo.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Keep Calm, meninas!


Essa semana ocorreram dois episódios que me fizeram pensar: um foi o fato do "furacão" do Congresso ter posado para a Playboy depois que um vídeo íntimo seu vazou na internet. O outro fato aconteceu hoje. Vários sites estão sendo estampados com o topless da princesa Kate. O que vejo em comum nos dois casos, seja em Brasília ou na Riviera Francesa, é a falta de respeito e essa erotização do corpo da mulher. Duas coisas que me deixam muito puta.

Lembro da época de quando vazou esse vídeo da intitulada(pela mídia punheteira) "furacão" do Congresso. Ela tem nome, é Denise Leitão. Não vi o vídeo, não tenho mínima curiosidade por essas coisas(o vídeo do cabeção me traumatizou mutio - coitado do inocente saco de wickbold!), mas lembro de ter visto várias matérias dela chorando pois estava muito envergonhada e o pior, depois ela acabou sendo despedida por causa desse episódio. Agora vejo Kate se dizendo "chateada, machucada, chocada, furiosa e enojada"NOSSA, mamilos são realmente polêmicos, não é? Na nossa sociedade, infelizmente sim.

Digo infelizmente, porque, por exemplo, no caso da Denise, o ex dela vazou o vídeo de propósito para atingi-lá. Ele fez isso pois sabe o quanto na nossa sociedade é "humilhante"para uma mulher ter sua intimidade, seu corpo nu, exposto para alheios. Ele fez isso e quem chora de vergonha é ela. Nessas horas me dá vontade de dar um abraço nela, na Carol Dieckmann, na Scarlett Johansson e em várias outras que também tiveram vídeos ou fotos vazadas na internet por pessoas sem índole. Gostaria de dizer para essas meninas para não terem vergonha. Todo mundo faz sexo, todo mundo já viu um peito e uma buceta, não há nada de novo. Se você quis gravar, tirar foto, não descrimino de forma alguma, o que fica entre 4 paredes é problema de vocês. Se o outro não tem caráter e acaba vazando de propósito alguma intimidade dos dois, não é você que tem que chorar de vergonha e sim ele. E já que vazou, o que importa é que você é gostosa e não tem nada do que se envergonhar! Adorei o fato da Denise ter posado para a Playboy. Já que todo mundo já viu ela pelada, já que ela chorou, sofreu e etc, que pelo menos ganhe alguma coisa boa em troca. Deve ter sido bem chato para a Denise na época, mas pelo menos agora ela deve estar com uma graninha de fazer inveja nesse ex nojento.

Sobre a Kate, não foi um ex, mas sim a mídia punheteira. Acho muita falta de respeito dessa mídia, mas isso não é uma coisa que devemos esperar dos tablóides, não é mesmo? A Kate é uma princesa do século XXI que faz topless. Mas ao ver suas fotos vazadas, mesmo que borradas e de longe, se comportou com o uma princesa da idade média. Ficou com vergonha e se mostrou bem magoada. Acho que seria lindo se ela tivesse mandando um FODA-SE(com classe, claro) ou então no mínimo, se tivesse ignorado.

Neses dois casos, indiferente do fechamento das histórias, as "vítimas"se mostraram culpadas, com vergonha. E eu fico me pergntando PORQUE dessa culpa e vergonha toda. Entendo a raiva, é pra ficar mesmo, mas não fiquem envergonhadas pelos seus corpos. Vocês são todas lindas e todo mundo já sabe como é um peitinho e uma bucetinha. A sociedade que é hipócrita e só quer te botar dentro de seus padrões de comportamentos arcaicos. Não caia nessa, não baixe a cabeça, não se envergonhe do seu corpo ou da sua sexualidade, não se sinta mal se isso acontecer com você(porque né, internet tá aí e você pode ser a próxima "vítima").

Keep calm, aprendam com a Madonna quando teve fotos vazadas no início da carreira and carry on.


domingo, 2 de setembro de 2012

Poligamia? Lenda ou Tendência?
















A polêmica chegou até a novela das oito (ops, 21 e 30) da Grôbo. Já faz um tempo que os nossos amados *pseudo-cults-hipsters-hare-boas* começaram a disseminar o chamado "relacionamento aberto". Em português: vc tem uma namorada(o), mas é livre pra poder ficar com quantas pessoas quiser. Não seria uma traição, porque está tudo, teoricamente, claro, acordado entre ambas partes que, maduras que são, jamais vão ter um chilique de ciúme se o companheiro(a) não puder sair num sábado a noite porque está ocupado(a). Tsá. Agora vamos deixar de carochinha e vamos aos fatos.

Primeiro, eu acho que pra ter um relacionamento poligâmico, vc precisa ser muito despreendida. Assim, realmente despreendida. Reflita se vc quer parecer despreendida, ou se vc é realmente despreendida. Tem uma grande diferença entre os dois. Vivemos em uma sociedade em que a monogamia é altamente cultuada, o casamento é o momento máximo da vida de uma pessoa, e a traição é o momento de humilhação mór. Sobreviver a uma traição (e dar a volta por cima) para a sociedade brasileira é tão louvado quanto ganhar um Prêmio Nobel. Então, é tudo bem se vc quer o seu relacionamento monogâmico com seu namorado só pra vc. Se vc não quer isso, por favor se assegure que é uma relação poligâmica que vc procura.

Voltando a nossa amada Avenida Brasil (oioioiinfinitos), eu acho um máximo que esse padrão monogâmico seja quebrado em horário nobre. Mostra que há outras possibilidades de relacionamento, e que as as pessoas podem ser felizes mesmo sem ter um homem pra chamar de seu. E é bom que a novela mostrou (não só de forma metáforica, mas literalmente), a importância de um contrato. As mulheres do Cadinho assinaram um. Na nossa vida real, tudo bem não ter essa prova no papel, mas é essencial sinalizar que toda relação precisa de um contrato.Não importa qual seja, pode ser um de monogamia, poligamia, zoofilia, qualquer coisa, mas é importante que as regras sejam claras, já dizia nossa sábio Arnaldo Cesar Coelho. A chance de "dar ruim" é menor quando ambas as partes sabem em que relação estão se metendo. Pode ver: a traição é tão doída, um dos motivos, porque atesta uma baita mentira de uma das partes. A quebra da confiaça mina o relacionamento. Se tudo estivesse claro, isso não ocorreria.

Portanto, a história do Cadinho eu acho um exemplo positivo de uma relação aberta, ou de poliamor, que está dando relativamente certo. A verdade é que hoje em dia temos muitas possibilidades de ficar com muita gente, essa coisa do amor livre, herança dos Woodstockianos (sejam louvados eles!). Mas é importante que vc decida qual relação se aplica melhor a vc. Cada indíviduo é um né. Poliamor, monoamor, o que de fato conta é vc estar feliz.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Top 10 – Rabisco Fadiga

A nossa vida de rabiscagem intensa vai bem até o momento que atravessa o nosso caminho ele: o rabisco fadiga. O Manual da Piriguetchy apresenta hoje os 10 tipos de rabiscos fadiga mais comuns para o seu radar piriguetchy apitar logo quando encontrar com um desses!




Estoque de bala renovado, atirando para todos os lados. Esse é aquele que segura teu braço na saída do banheiro da buatchy, você se solta, ele segura o da sua amiga que vem atrás de você. Sempre dando em cima de todo mundo, com as mesmas piadinhas. Convida você para um sambinha na sexta à noite depois do expediente, você diz não, ele convida sua colega de trabalho para o mesmo sambinha. Adepto do 2,3,4,5,6,7,8 ♫.













A linha é tênue entre ser atencioso e ser carente/grudento/mala. O cara quer te beijar no meio das melhores cenas do filme no cinema... quer ficar abraçado o tempo todo naquela socialzinha light na casa dos amigos ou no meio da night, no barzinho, na praia... Te manda email, whatsapp, inbox, reply e sms, tudo junto, quando quer te encontrar.... Reclama que você sumiu, ou que deu mais atenção para algum (a) amigo (a) quando vocês saíram.. ai que fadiga eterna.













O guarda roupa todo cheio de blusas xadrez, óculos de grau com armação ray ban e habituê de uma festa estranha com gente esquisita. O mal dos hipsters é querer o tempo todo ser mais undergound que todo mundo. E só falar do quanto ele tem um conhecimento underground enorme de músicas, livros, festas, shows, séries e afins. E do quanto você não sabe nada disso. E se pintar um bigode e um dente preto tá pronto para uma festa junina porque fica o ano todo trabalhado no xadrez.




Ele mexe com você. Vocês já ficaram, tem química só que você sabe que não passa disso. Mas, ele mexe com você. E aí é como se ele tivesse um bilhete único na sua cristaleira de pratos. Contra a sua vontade. Fica entrando e saindo toda hora. E sabe o momento certo de aparecer. É o mestre dos magos: brota do chão. Sempre indeciso: sente sua falta, mas não da para ficar junto sempre. Quando vocês ficam, ele faz uma cagada enorme, some semanas, mas acaba te ligando e você acaba atendendo. Fadiga em ciclos.




Cafuçu sarado é uma delícia. Agora cafuçu sarado que vai para academia com abadá da micareta, que usa regata para mostrar os bíceps, que toma bomba ou, agora, os suplementos da moda: ~termogênicos~. Sem esquecer o closplay de Bob Esponja: peitoral grande e pernas finas. Não! Aí vocês vão conversar e ele só fala da série nova que o personal passou.. Aí vocês vão transar e a performance fica comprometida pelo uso dessas substâncias do mal....




Está sempre “viajando” ou querendo “viajar”. Às vezes vocês mal conseguem conversar porque depois de um beck ou ele começa a rir de tudo, ou entra em paranoia ou quer ter papo cabeça se perdendo nos argumentos. Vai te beijar e mete o línguão na tua boca todo desconcertado de tão “viajado” que tá. Ainda tem aquele cheirinho característico impregnado na roupa e olhos vermelhos.















O Rabisco blasé é um tipo de variação do hispster com o acréscimo de TÉDIO. Acha tudo um saco, está sempre entediado, nada no mundo o abala, o surpreende. É cético. Bocejos ad infinitum + um cigarrinho+ um cafezinho.




Não vou aqui dizer que no final das contas nós queremos esse rabisco que a Valesca Popozuda já cantou. Mas acho válido em um primeiro "Date" a piriga ser a convidada da noite, se rolar motelzinho então.... E depois até para dividir a conta tem que rolar um bom senso. Um cara que te chama para sair e você fala que ta no final do mês e ta quebrada ou qualquer outra razão para estar de carteira vazia e ele desiste de sair com você....fadiga.




Ele demonstra que tá afim, faz o hehehe completo, mas na hora de chegar junto: KD? Aí você que já investiu seu tempo e tava só esperando o gran finale, fica sem entender nada. Aí, ele some um pouco. Reaparece. Rola o hehehe de novo e na hora do lelelê: KD? Ou então rola o lelelê. Foi bom. Você dá sinais de que tá a fim de dose dupla e ele também, mas na hora de dar sequencia ao approach: KD? Ele tá sempre esperando você tomar atitude e você está sempre encontrando a fadiga para te abraçar.




Aquele que acha que mulher que bebe e usa roupa provocante não serve para namorar. Ou que começa a namorar e quer proibir as roupas curtas. Que acha que mulher não pode ter amizades masculinas. Que acha que a mulher não pode sair para uma festa ou uma social sem ele. Que se vê algum caso de homem que bateu na mulher porque ela o traiu, diz que ela mereceu. E ainda tem os machistas disfarçados, ou aqueles que para "tal coisa" tem um comportamento machista. Mais do que rabisco fadiga esse é o rabisco que dá asco.

E pra você? Quais são os seus rabiscos fadigas?!

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Baby, tesão é diferente de amor



Meninos, por obséquio, não confundam essa equação.
Vemos vocês, braços sarados, ou mentes inteligentes, seres incríveis. Isso desperta calor e nos faz descer pelo ralinho. Precisamos resolver isso com corpos entrelaçados e movimentados em ondas repetitivas até chegar ao ápice.

Ufa.
Uma água ou um cigarrinho?

Será que é tão difícil entender que temos tesão, como vocês, e que isso não está necessariamente associado com amor? Não somos frígidas (GRAÇAS A DEUS!), e por isso também temos apetite sexual. Isso quer dizer que precisamos liberar essa energia. Quer dizer que eu posso te procurar para ter os bons sexo, sem que isso tenha envolvido qualquer fantasia de relacionamento. 

Também não é por isso que a gente tenha que ser frio. Por uma noite nós podemos ser o casal mais apaixonado e foguento do mundo, trocar carinhos e afagos, e quem sabe até dormir de conchinha. Mas quando o soooool naaaasceeeeer na janeeeeela doooo moteeel é hora de cada um seguir sua vidinha, sem nenhuma pressão ou expectativa. Nosso objetivo é ter uma bela noite (ou dia?) de orgasmo(s).

Tudo bem que ainda tem algumas meninas que confudem esses dois aspectos, mas não precisa aplicar isso como regra geral, por favor. Não é porque uma garota é loira que você vai achar que todas são, certo? E um recado para as pirigas que ainda misturam as estações: se libertem. Vocês podem se permitir ter noites prazerosas mesmo sabendo que o cafuçu não fez seu coração balançar.

O recado é gozar muito a vida com ou sem um amor.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

All the single ladies now put your hands up!



Não é que eu tenha algo contra as pessoas serem felizes e quererem gritar isso pro mundo inteiro. Muito pelo contrário. Acho mesmo é que todo mundo tem que se jogar nesse mundo aí, sem amarras. 

Mas um “fenômeno” que eu tenho visto acontecer (muito!) são as recém solteiras naquela fase de se auto-afirmar para a sociedade – que, neste caso, respinga nas tais redes sociais. Eu sei que tô sendo repetitiva, mas isso realmente virou moda já que a bruxa do final dos relacionamentos anda solta. 

Fico refletindo sobre os motivos que levam essas pessoas a quererem estar o tempo todo parecendo felizes vivendo a V1D4 L0K4. Terminar um relacionamento não é fácil. Não importa o motivo, sempre vai doer.
Então por quê querer já no dia seguinte ao término postar uma foto com whisky e red label na night com legendas subliminares “Uhuuu. Sem comments"? Não força essa barra, né? Viver um pouco o luto faz parte do amadurecimento.

Ficar em casa ouvindo Adele (“Never mind I’ll find someone like you...”) é válido. Assistir Bridget Jones também. É bacana você se redescobrir nesse período, encontrar alguma coisa que você gosta de fazer, curtir um pouco de tempo com você mesma. 

Querer provar para os outros (que necessariamente tem alguma ligação com o ex) que você está bem é maior besteira. Viva seu tempo, deixe a dor chegar, chore mesmo. Não é para parar a vida porque seu relacionamento acabou, mas querer gritar que você "tá muito melhor assim" também não cola.

Depois essa fase passa (sempre passa!) e o desbunde vai ser natural. Pronto. Reinicie o ciclo. 
 

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

O FEMEN tá na mídia brasileira



Então gente, segunda agora as meninas do FEMEN-BR foram no Superpop da Lulu Gimenez. Soube na hora que tava rolando, corri pra trocar o canal da tv. As meninas de um lado junto de uma escritora que também fez uns protestos semi-nua contra a pirataria. O nome dela é Vanessa Oliveira, bem inteligente. Do outro lado tinham três pessoas que eu não faço a mínima ideia de quem elas eram, mas representavam o lado machista da sociedade, mas claro que eles nunca vão admitir isso (mentira, teve umA que falou com orgulho que era machista. ai, fadiga..). E Lulu tava ali mediando a conversa, aquela coisa de sempre.

Sobre as meninas do FEMEN nessa aparição na TV: tadinhas, estavam muito despreparadas. Mas também, elas estão entrando nessa agora e são bem novinhas, uns 20 e poucos anos. E ali, num programa ao vivo... é difícil, eu imagino. A escritora falou muito melhor do que elas, com certeza. E eu escrevo esse post pois estou preocupada. Porque olha o nível que esse FEMEN chegou: no Superpop. Nunca nenhuma ONG feminista foi chamada para falar sobre suas ideias em um programa com uma audiência como essa. E aí, quando esse FEMEN é chamado pra um programa desse calibre e estão assim despreparadinhas, gaguejando.. fico preocupada com a imagem do feminismo no Brasil, que já é horrível. Mas como eu disse, eu entendo as meninas, não as culpo. Com o tempo elas vão aprender a se expressar melhor com a imprensa.

Mas agora, vocês já pensaram porque desse mídia toda? Porque elas mostram os PEITOS. OS PEITOS GALERA, OS PEITOS. Não por que elas estão fazendo trabalhos incríveis com mulheres da sociedade, porque elas estão semi-nuas! Logo aqui no país do samba, carnaval, praia... uns peitinhos usados para protestos fazem tanto alarde assim, por quê? Por que que a nudez, feminina obviamente, incomoda tanto nossa sociedade(usados como protesto, claro, como eu já disse) a ponto de uma organização assim só ter esse tipo de visibilidade na mídia por ter tido uma atitude assim? Claro que é cultural né, essa sexualização do corpo da mulher, como se peitos fossem genitálias também e só podem ser descobertos na ora do ato sexual. É só olhar pra outros países mais desenvolvidos pra ver a diferença de como o corpo é visto de forma diferente nesses lugares. Por exemplo, nos países escandinavos existe a cultura de frequentarem saunas e fazem isso muitas vezes pelados e homem com mulher, tudo misturado. Aí vai olhar pro IDH desses países e compara com o nosso, ou de outros países sub desenvolvidos ou em desenvolvimento, em que a sociedade é super machista. Coincidências? acho que não.

Outro ponto que eu acho que choca a população é que OH MEU DEUS existem corpos fora do padrão de beleza que é vendido por aí na mídia! Nessa reportagem do Globo.com por exemplo, 95% dos comentários, no mínimo, são criticando o corpo das meninas. Dá vontade de perguntar MERRMÃO que Gisele Bundchen que vc anda comendo pra ficar recalmando assim? O corpo dessas meninas são totalmente NORMAIS e REAIS, de gente que você encontra aí na rua, que você pega na balada... Sem photoshop, mas com celulite sim e gordurinhas também. E a mulher que você chama de gostosa na cama, é como? Muito diferente disso? Certeza que a maioria delas não é. E as pessoas tem muito disso né.. querem arranjar uma menina assim assado, cinturinha assim, cabelo assim, cor da buceta assado... GENTE abre essa cabeça! Inteligência, conversa e atitude são os melhores afrodisíacos! Caguei pra aparência, pros "defeitinhos"... Preliminares intelectuais, eu acredito!
Não, e pior é que esse pessoal fica perdendo tempo reclamando de corpo de pessoas que nem vão comer!

Então acho ótimo que essas meninas tirem a roupa. Mas também acho que elas ainda tem muito a melhorar para conseguirem chegar em seus objetivos. Mas só de esfregarem na cara da sociedade que "vsf, ando sem blusa se quiser e vc que controle seu piru pq vc não é um animal irracional" e de mostrarem que  existem outros corpos por aí, que não tem que ficar  obrigatoriamente "enfeitando" o mundo como muita gente acha(tanto as mulheres que ficam nessa pressão de serem bonitas sempre para os outros quanto os homens que as pressionam para serem troféuzinhos). Acho que esse não é objetivo principal delas nesse momento, mas de alguma forma já estão ajudando. Nem que seja assim, só de gerar uma reflexão, um questionamento, um post.

Para saber mais sobre o FEMEN, clique aqui.

domingo, 12 de agosto de 2012

Focofocofocofocofoco- Porque não perder o foco em um relacionamento é essencial


Piriga, se tem duas palavras que definem as relações hoje em dia são foco e ansiedade. Foco, vc tem que ter sempre. Ansiedade, vc tem que tentar driblar justamente recorrendo ao seu foco. Tô falando difícil, né? Mas vamos colocar aqui uma situação que com certeza todos os seres humanos já passaram uma vez na vida:
O gatinho te disse que vcs vão sair no sábado. O que vc faz na tarde que vc está, exclusivamente, a espera do telefonema dele?
1- (   ) Fica no Facebook o dia todo vendo as fotos dele/Outra possibilidade: Zapeando na TV
2- (   ) Pega uma praia/filme/bar/restaurante?
Se vc marcou a opção 1, você está fazendo isso errado.

Se liga: a opção 1 só te traz ansiedade e aquela sensação horrível de esperar o toque da mensagem. E, é claro, quando ela tocar, vai ser o anúncio da operadora da celular. A opção 2, pelo contrário, te traz um novo foco. Vc acaba se distraindo fazendo outra coisa, falando com outra pessoa, e, se ele não te ligar, vc não vai se sentir a Bridget Jones e sair correndo pra pegar sorvete no freezer. Pelo contrário: vc vai se sentir orgulhosa de si mesma que não passou a porra do dia mofando por causa de um babaca.

Quando vc tá num relacionamento, seja namoro, pegação, qualquer coisa, a situação é a mesma. Vc não pode perder o foco. Vem comigo e pensa racionalmente: Vc pode estar ao lado do senhor perfeição, que está prestes a te pedir em casamento, mas vc pode garantir com 100% (eu disse 100%, tsá) que ele não vai te decepcionar nunca? Vale a pena vc concentrar toda sua energia em uma pessoa, que por mais que vc ache que conheça e confie, nunca vai ser uma garantia? Nunca vai ser uma garantia porque a única pessoa que vc pode, com toda a certeza, contar e confiar é em si mesma. Infelizmente, as outras pessoas nos decepcionam. Maior, menor grau. Sempre há o risco. Não pensa que só acontece na novela, porque às vezes estamos tão cegas que temos o pensamento clássico “mas meu namorado é diferente”. Se ele tem aquilo entre as pernas, e pertence ao sexo masculino, piriga, acredite, ele-não-é-diferente.

Isso é um post apenas pra termos em mente que sempre temos que ter várias coisas com o que nos preocuparmos, não resumir a nossa vida a um namorado (peguete então, nem pensar). Ter um trabalho legal, ou alguma coisa pra estudar, amigos presentes, almoços de família, cerveja gelada, tudo isso ajuda na hora de vc estar sempre com várias coisas na cabeça. É hora de repensar se vc não consegue imaginar sua vida sem o gatinho. Sério que com o mundo repleto de pessoas, coisas e lugares, vale a pena vc achar que sua vida é um homem?

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Mataram mais uma Sinhazinha!



O trending topic dessa semana foi o assassinato de Sinhazinha e Osmundo, de Gabriela. Sinhazinha vinha mantendo um relacionamento extra-conjugal com o dentista havia um tempo. As fofoqueiras da cidade trataram de alertar o Coronel Jesuíno, marido traído de Sinhazinha. Ele flagrou os dois na cama e, em seguida, atirou neles. Na Ilhéus dos anos 20, “honra se lavava com sangue”. 

Na novela, o Coronel recebeu felicitações, “parabéns por ter matado aquela adúltera”. Tudo bem, né. Anos 20, ciclo do cacau, coronéis mandando e desmandando....

Mas a repercussão que isso gerou HOJE me deixou chocada. No ônibus que eu pego de manhã com a peãozada a maioria deles reforçou o argumento de que faria o mesmo caso soubessem que suas esposas/namoradas/ficantes agissem como a Sinhazinha. Só não o fazem porque hoje em dia é crime. Sério, gente?! Que ano é hoje?!

Ok que eu não tenho gráficos nem dados do Datafolha levantados que possam comprovar a tese e que ela é simples fruto de uma observação de algumas poucas horas, mas realmente é inacreditável e inaceitável que pessoas sigam pensando desta maneira. 

Um deles ainda disse que a Lei Maria da Penha incentiva que as mulheres traiam. “Hoje a mulher te bota um chifre e você não pode nem dar um susto nela porque a lei protege”.

E ainda dizem que as feministas exageram nos argumentos. Tâmo precisando fazer uma reformulada geral no layout do pensamento vigente. Parece que ainda não caminhamos muito desde os anos 20 – os Jesuínos continuam por aí colocando mulheres nas estatísticas de violência doméstica (já que nem sempre dá pra matar, bora bater!). 

Como a própria Gabriela sentenciou, ao saber da tragédia: “o mundo funciona de maneira estranha”.
  

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Nós dois podíamos ser um casal de novela das oito...


Nem precisava de alguém dizendo "luz câmera ação!" para começar a cena.
Fazia parte do cotidiano, eu, você, os gritos, e as marcas no chão para mostrar o mapa do percurso durante a discussão. 

Uma demonstração de ciúmes, uma resposta malcriada, e a troca de ofensas ensaiada. 

Lembro que alternávamos a saída triunfal. Ora eu que dizia a última palavra e ameaçava ir embora, dessa vez pra sempre, como das outras mil, com mala em punho. Ora era você quem deixava uma frase no ar e se trancava no quarto pelo resto da noite.

As suas pausas eram preenchidas com o acender de um cigarro. Eu só tragava quando achava que, puta que pariu, ia mesmo acabar, mesmo, lá no fundo do peito, tendo certeza que nosso último capítulo seria um casamento com passagem de tempo e filhos no colo.

Os dramas evoluíram de tal forma que berros seriam pouco para atrair a platéia. O prédio todo devia acompanhar a história. Precisaríamos ir além. Quebrar o cenário, discutir em público, envolver coadjuvantes.

Estava tudo no script. Tão bem internalizado que nem precisava de dália.
Nós dois éramos um casal que roteirizava a própria relação.

Devíamos ter montado uma produtora. Faríamos um curta, uma websérie, talvez um programa para o Multishow e alçaríamos os sucesso. Mas preferimos viver essa história como se fôssemos personagens criando vida, e não o contrário.

Mas nem no fim o show poderia parar.
A nossa novela acabou sem filhos, nem casamento no final e você começou outra.
Deixei de ser sua mocinha. Você se tornou meu vilão.

Se dependesse de você, teria espaço para várias tramas, mas para essa emissora não escrevo mais. Afinal, ainda tem muito canal aberto por aí.

Mas me sobraram notas de bons diálogos para criar um casal de novela das oito.

domingo, 5 de agosto de 2012

Dúvida da leitora: O Don Juan de Araque



"Olá pirigas queridas! Tava criando coragem pra mandar meu problema pra vocês, então, lá vai! Eu entrei para um estágio e depois de alguns meses fui tomar uma cerveja com meu colega de trabalho, até que bebemos demais e acabamos ficando. Levei na boa, achei que não passaria daquilo e pela primeira vez na vida, não me senti mal de ter transado com um cara que não teria mais nada e não fiquei preocupada em como seria no escritório no dia seguinte. Só que o cafuço karma, me chamou pra sair várias outras vezes... conclusão, estamos saindo há 1 ano. Ele já não trabalha mais na empresa. 
O problema disso tudo é que ele tem namorada! Ele é cafajeste ASSUMIDO! Numa noite em que estávamos juntos ele falou assim: "Você sabe que eu não presto né?" No começo tava tudo ótimo, só que percebi que eu estou apaixonada por ele, sinto falta dele; mas ele é bem atencioso comigo, nos vemos sempre, dormimos juntos sempre, enfim..... Só que há dias que tomo a decisão de terminar tudo e manter a amizade, nesses dias parece que ele adivinha e fica mais carinhoso do que geralmente é. 
Eu quero que me ajudem, como posso me afastar, sem perder a amizade!"

Piriga leitora, esse seu cafuçu karma é um dos piores da cristaleira das piriguetchys: o Don Juan de Araque. Ele tem namorada, trai há um ano ela com você, deve girar outras neste percurso e te mantém com esse falso recurso da amizade + carinho + atenção + momentos de carência. Esse combo é fatality, mas ele não é seu amigo, ele só quer te comer, já dizia a long time ago uma comunidade no Orkut. Sem contar que pensa comigo: você parte para tentar essa coisa de “manter a amizade”, ai um dia toma uns bons drink, ele liga e o encosto te pega de novo. Talvez você esteja idealizado uma amizade nesse cara, que quando sua paixão passar você vai logo ver o quanto ele na verdade era um fdp.

Em tempo, a gente sabe o quanto é difícil mandar no coração e também no tesão, né?

Por isso, eu acredito que se afastar totalmente desse don juanzinho de araque é a melhor solução, mas eu acho que para o afastamento ser realmente eficaz você tem que entender que não merece ficar nessa relação karma. Esse rabisco é podre não só pelo o que ele faz com você, mas também pelo o que ele faz com a namorada. Cada momento que eu leio sua história só penso no quanto não dá para se contentar com pouco e no quanto as mulheres têm que se unir contra esses tipinhos. Você tem que saber que tem o seu valor e rapidinho aparece aquele cafuçu magia incrível.Com isso em mente, mesmo que ele te procure ou você o reencontre, você não corre o risco da recaída, porque não vai ter mais nenhum ponto fraco seu para ele atingir. Você é mais.

Você tem que ser forte, jogar a oferenda no mar, ver as dicas para se livrar de surtos psicóticos, saber até quando dá para ir com o desejo e aí é estar sempre nos lugares certos. Esse sim é o combo para arrasar.


quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Flerte e Preconceito


Post da nossa amiga Cineasta
baseado em fatos reais

Era dia 23 de dezembro. Eu tinha que ir para Petrópolis, mas só tinha ônibus às 15:45. Ainda eram 14 horas. Era um dia muito quente deste verão carioca. Ao invés de ir até ao CCBB fazer hora no ar condicionado, achei melhor fazer hora tomando um chopp nos arredores do Terminal Menezes Cortes, num dos bares próximos a Rua Nilo Peçanha, local do embarque. Pedi um chopp e por força das circunstâncias, puxei papo com um homem de aproximadamente uns 45 ou 50 anos que estava na mesa ao lado, também sozinho. Força das circunstâncias essa, tão tipicamente brasileira, que fez com que em aproximadamente 40 minutos ficássemos “amigos”. Ainda não existe termo para designar essas pessoas que conhecemos ao longo da vida e que de antemão sabemos que será difícil um reecontro no futuro. Porém, piriga que é piriga sempre vê possibilidades. Ao longo da conversa descobrimos afinidades e divergências. Vamos a elas.

Ele ama o nordeste. Eu também. Ele ama praia. Eu também. Ele ama frutos do mar. Eu também. Fui poucas vezes ao nordeste, mas foi suficiente para trocarmos informações e histórias particulares sobre a região. Até aí o papo tava digno.

Como de praxe, sempre que uma piriga inicia uma conversa com um homem qualquer, seja pra passar o tempo ou com segundas intenções, o que é prudente fazer? Dar aquele bizú geral. Ele não era bonito, não tinha grandes atributos físicos, digamos, mas é como eu sempre digo: homem tem que ser inteligente e bom de cama. Apenas isso. Beleza não é essencial. Beleza se constrói. Nada que uma malhaçãozinha de leve e uma roupa estilosa não possam dar um jeito. E nesse caso o papo fluia bem.

Logo depois, ainda na tag “viagens”, ele começou a falar sobre suas incursões na região sul do país, que eu ainda não tive o prazer de conhecer. Falou de Florianópolis, que tem praias lindas, é uma cidade limpa, organizada e tal. Até aí, tudo certo. Mas eis que ele solta a pérola podre: “Só tem gente bonita lá. Não tem preto... assim, não sou racista não, mas só tem gente linda mesmo”. WHAT?!?!

Qual é o conceito de beleza que ele tem na sua mente pútrida? Seja qual for, é abominável, só por esse comentário dá pra perceber. Ele continuou a tecer comentários sobre Floripa, mas a essa altura eu já tava com fadiga de continuar aquela conversa, bem como da cara dele. Nesse exato momento passa um homem correndo atrás de um menino numa velocidade tal que só o que deu pra ver era que o menino era maltrapilho e negro e o homem era bem vestido. Diante do ocorrido, esse cidadão que conversava comigo lança uma pérola mais podre ainda: “Por mim pegava essa gente, botava num navio de volta e quando chegasse tacava fogo lá”. Cadê reação num momento desse??? O que eu queria era cuspir na cara desse sujeito. Pedi a conta imediatamente e me preparei para levantar acampamento.

Ah, já ia esquecendo. Antes de iniciarmos esta conversa, como é de costume nos bate papos à moda brasileira nas mesas dos bares, falamos um pouco sobre quem somos e sobre o que fazemos da vida. Ele é agrônomo e tem uma propriedade rural próximo a Macaé. Como um dos assuntos que tem me interessado cada vez mais é sustentabilidade como alternativa, pensei na hora “olha que digno!”. No entanto, a conversa que poderia ser interessante descambou pra outro lado e pude ver que nem sempre conhecimento significa sabedoria. Esse indivíduo se mostrou bastante ignorante, preconceito e nojento. No fim, ainda teve a desfaçatez de me cantar e perguntar se poderíamos nos ver novamente. Eu peguei o cartão dele e disse “sim, claro”. Menti, obviamente. O idiota vai morrer esperando minha ligação. O cartão evidentemente já foi pro lixo. Sujeitinho mais intragável!

Fica a dica para os candidatos a rabiscos: o mundo evoluiu, as mulheres evoluiram, as pessoas no geral evoluiram... então vê se vocês conseguem acompanhar o ritmo, tá? Gato, você pode ser o homem mais interessante do mundo, mas PRECONCEITO NÃO DÁ!!!!

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

A anti-negação



Por dois minutos faça uma mini meditação.

Pare tudo o que está fazendo, respire fundo três vezes e tente mentalizar alguns rabiscos que já passaram pela sua vida. Relembre de algumas histórias e seus desfechos.

Agora foque nos caras que você acredite que não eram muito afim de você. Provavelmente eles desmarcaram encontros, sumiram do chat, e disseram que não viram suas trinta ligações e cinquenta mensagens.

Relembre toda vez que você tentou ouvir a verdade, perguntou se ele não estava afim, se estava acontecendo alguma coisa. No fundo você já sabia a verdade, que ele não estava tão na sua, mas queria ouvir para internalizar e seguir o rumo da vida.

Provavelmente você ouviu que ele andava muito ocupado, ou que você estava viajando, que não tinha nada demais.

Sabe porquê? Porque cafuçus são adeptos da anti-negação.

No fundo eles sabem que vocês dois não deram liga. Talvez ele esteja interessado em outra periga, ou ainda esteja sofrendo as dores de cotovelo de um amor antigo. O problema é que, por uma construção social, disseminada em mesas de bar e apoiada pelos semelhantes deles, existe uma sabedoria popular masculina de que não se deve nunca, eu disse NUNCA, dizer não à uma mulher.

Isso quer dizer que ele pode não querer nunca mais te encontrar, não ter a menor vontade de tomar um chope com você, mas, ao invés de aplicar a sinceridade, mesmo que doa um pouco, e te deixar livre para ir em busca de outro rabisco, ele simplesmente não diz a verdade. Não diz que não está afim de você. 
Não diz nada.

Não pense que rola só com rabiscagens avulsas. E aquele cara que terminou o relacionamento com um motivo estranho e vazio? Disse que não é que não gostava mais de você, era só o momento errado. OI? 

Mas nós mulheres na maioria das vezes não usamos essa estratégia. Fazemos as honestas, dizemos para o cara que não vai rolar o chope, ao  invés de fazer como eles, dizer que HOJE não vai rolar o chope.

Pois isso é uma técnica de giração de prato da mais alta maestria masculina que também deve ser aplicada por nós. Em nenhuma hipótese admita que não vai sair com o cara, por mais que ele seja feio, estranho, chato e se ache o tal. A verdade, nós sabemos, é que essa pegação nunca vai acontecer, mas não precisa verbalizar para o mundo, basta guardar para você.

Isso pode parecer maquiavélico. E é mesmo, mas, como lutamos por direitos iguais, devemos também entender as estratégias alheias e usá-las. A sensação de que em alguma hipótese, mesmo que extremamente distante, você pode ser um stand by, é o que faz o NÃO uma palavra proibida no vocabulário masculino.

Faça o mesmo. Você não vai ser malvada. Vai ser anti-boa.

domingo, 29 de julho de 2012

Dúvida da Leitora - Como dar mole?
















"Olá, queridas!

Eu tenho uma amiga... Ok, essa é a mais manjada, mas nesse caso eu juro que é verdade. Eu tenho uma amiga que está com uma questão existencial muito séria: COMO DAR MOLE? Em qualquer ambiente, seja real, virtual, profissional, casual, familiar, enfim, qualquer um, minha amiga simplesmente não consegue demonstrar para o gato que está a fim. Eu já tentei dar algumas dicas, mas acho que seria melhor uma opinião profissional sobre isso. Vcs podem ajudar?"

Galera, esse post é baseado numa dúvida da leitora, mas eu acredito que seja um dos nossos maiores dilemas: Como dar mole? Como você pode conhecer o cara em diversos ambientes (e cada lugar permite uma aproximação), vou dividir nossas dicas por ambientes. Assim fica mais fácil o approach:

1- Dando mole na night para um desconhecido: Nesse caso, não tem muito jeito. É olhar, olhar, olhar e olhar (mais um pouquinho). Se o cara não é amigo de um amigo, nenhum contexto, só assim mesmo. Se o cara não correspondeu, mas mesmo assim vc quer muuuuito ficar com ele, eu chegaria no cara. Faz qualquer pergunta e vê se ele te dá alguma abertura. Se ele meio que te cortar, aí beijos e bye bye.

2- Dando mole no bar para um semi conhecido: Estão na categoria semi conhecidos: amigos de amigos, pré amigos ou conhecidos. Nesse caso, vc sentada na mesa de bar com o alvo, é mais simples. Se interesse pelas coisas que a pessoa fala. Ele tá falando de uma viagem? Faça algum comentário, pergunte alguma coisa, acrescente alguma informação. Anote um mantra: mole bem sucedido no bar é quando a conversa passa de ser entre A, B, C e D e passa a ser só entre A e B (você e o gatinho). Quando vocês passam a conversar só entre vcs, a situação tá favorável pra você! Vcs tão num maior papo? Olhe pros olhos e pra boca dele. Isso mostra muito seu interesse. O cara vai perceber que há um clima.

3- Dando mole virtualmente: Você nunca encontra o boy magia na night? Nem no samba? Nem no bar? Relaxa. Se você tem ele no Facebook, nada está perdido. Primeira dica pra dar mole no Face é você curtir (DE VEZ EM QNDO!) o que o carinha posta no Face, fazer algum comentário e etc. No Facechat, tente puxar papo perguntando qual é a boa do fds ou comentando sobre algum assunto que o cara gosta. Se ele falou o que vai fazer no fds, vc imediatamente fala, ah, serio? Eu tbm tava a fim de ir nessa festa COM MEUS AMIGOS. Vc não quer mostrar pra ele que ainda não tem nenhuma companhia pra festa e vai tentar caçar alguém pra te acompanhar. Se o cara mordeu a isca e se interessou pela sua presença, vc manda o famoso “me fala seu cel que SE EU FOR te dou um toque”. Pronto! Aí no dia da festa, vc manda uma msg, abordagem menos invasiva. Mole dado!

4- Dando mole em situações avulsas: Seu caso não está acima? Calma. Mesmo se vc quer pegar seu professor, o atendente da Osklen ou seu colega de trabalho a piriguetchy te dá dicas. As regras gerais do mole são: olhar e puxar papo. Só que pra, puxar papo, tem que haver um contexto, então observar a presa é fundamental. Tente saber o que ele gosta, que lugares frequenta... Uma outra dica mt importante é que, quando vc olha pra uma pessoa, e a pessoa corresponde o olhar, as vezes desviamos o olhar. Outro mantra: Não desvie o olhar. Se você quer pegar, óbvio.

Espero que nossas dicas tenham ajudado a leitora e vocês tbm, pirigas!

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Sobre Traição



Desde ontem presenciamos uma bomba vinda de hollywood: Kristen traiu Robert.  "oh meu deus. como ela pode? como ela é ridícula, uma piranha escrota". Não to aqui pra defender a Kristen nem ninguém,  mas é bem fácil criticar uma situação dessas quando você está de fora. Mas e quando é você que trai ou é traída?

Traição é um assunto realmente complicado, mas na minha opinião, dá pra perdoar sim. Somos todos humanos, todo mundo tem defeito, todo mundo erra. Isso não quer dizer que a pessoa que traiu não te ama e que é um fdp com você. A pessoa pode ter tido uma atitude escrota, mas aí cabe a você ver o que vale mais a pena, se é ficar com ele ou sem ele. Acho que vale a pena dar uma segunda chance quando o namoro de vocês está ótimo, ele é um fofo, faz tudo por você, etc. Sabe quando o Steve traiu a Miranda no Sex and the City? O casamento deles estava com problemas, mas ele amava e fazia tudo por ela. Traiu, se arrependeu e correu atrás dela até o final do filme quando ela o perdoou. E perdão é uma coisa que temos que exercer nessa vida, para não guradar rancor nem nada, porque essas coisas só fazem mal pra pele. Claro que vocês vão passar por um período meio chato até a confiança ser reestabelecida, mas é uma fase, depois passa. Se não passar e se você ainda gostar dele, que tal tentar uma relação aberta?

Mas se o cara já é meio desligado no namoro, é um folgado, some, passa os finais de semana na night com os amigos.... iiih, amiga, então é melhor você ter um little R-E-S-P-E-C-T por si mesma e dar um belo chute nesse cara, porque se ele já não é flor que se cheire, depois de você descobrir uma fugidinha dele, bem provável que ele não mude de conduta depois. Seja esperta e não se iluda!

Agora, se você quer trair.. primeiro que fique bem claro que esse blog não apoia a traição de nenhuma das partes. Mas se você não conseguir se conter desse pecado, faça isso de um jeito que não humilhe tanto assim a outra pessoa. Porque uma coisa é você trair a relação, a outra é você ser desleal, expor a pessoa assim como a Kristen fez. Pensa só: a menina é a atriz mais bem paga de Hollywood, tá em vários blockbusters e me decide trair o namorado num lugar público? Vai me dizer que ela não podia reservar um hotelzinho 5 estrelas com esse maluco?

Conclusão: o cara tá aí na capa de várias revistas como chifrudo. Traduzindo pro mundo real: se vai fazer merda, que faça direito. Não vai trair no meio da balada, com várias pessoas que conhecem ele, vendo. Se você está sendo egoísta em trair, pelo menos tenha ainda um pouco de consideração e faça num lugar privado.

Agora, o casinho virou amante? Amiga, tá na hora de terminar então hein. Para de se iludir e iludir o bofe... se chegou nesse ponto é porque o namoro não tá bom mesmo, tá faltando algo...

E já pensou que também existem vários tipos de traição? Tem a traição por vingança, que eu acho a melhor. E quando uma pessoa começa a namorar outra, mas na verdade ama uma terceira? Essa eu acho a pior traição... Mas no fundo, quando as pessoas traem e não terminam, é porque no fundo tem medo de ficarem sozinhas.

Mas minha gente, é aquele papo clichê de que existem 6 milhões de pessoas no mundo e você tem o direito de ser feliz! Abre mão e vai em frente! E isso serve pra quem foi traido também. Levanta sacode a poeira e dá a volta por cima. Eu sei como uma traição pode acabar com você, mas é nessas horas que você tem que perceber o seu valor e pior pra ele, meu amor!!!!

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Piriguetchyação pré balzaca

Quando eu era (mais) jovem a percepção do mundo era outra. Eu, por exemplo, achava que a faculdade seria um determinante para um bom emprego no futuro. Achava também que aos trinta eu estaria no auge da minha estabilidade financeira vivendo uma vida de classe média clichê. Mas não.
Muitas achavam que, quando chegassem ao balzaquianismo já estariam casadas com um boy-gato-barba-por-fazer-abdômen-definido. Só que as expectativas se frustraram, baby.  Estamos chegando aos trinta, não temos o emprego dos sonhos e ainda moramos com nossos pais.
Não se desespere. É uma coisa da nossa geração. Quantos causos desse modelo você conhece? Não é por falta de esforço, mas a coisa tá engasgada mesmo.
Mas, indo direto ao assunto, esse texto é um “aconselhamento” para as pirigas que estão na fronteira dos vinte e poucos/trinta. Neste departamento, a piriguetchyação ganha alguns termos aditivos.

  1. Não fique postando nas redes sociais que você precisa de um macho, se alugando para o dia dos namorados e se jogando pra qualquer troço que lançar um “oi” no Facechat. Dignidade, amiga. Fazfavô.
  2. Nem o contrário. Ficar nessa de “sou solteira e ninguém vai me segurar/V1D4 L0K4” também não é bacana.
  3. Não comece a sair com sua prima dez anos mais nova. Dificilmente você aguentará o pique “dar novinha de vinte” e vai acabar frustrada. Os boys novinhos não merecem nosso respeito.
  4. Essa história de “correr atrás do tempo perdido” é furada. Viva seu tempo, tenha amigas da sua idade – elas vão te entender muito melhor, garanto.
  5. Não compre animais de estimação para substituir um amor/filhos. Não faça a Xuxa comprando um carrinho de bebê pra passear com o cachorro no shopping. Isso é muito #FAIL.
  6. Não deposite todas as expectativas da sua vida no primeiro boy que aparecer, só porque só apareceu ele. Aguenta firme e primeiro vê direitinho qual é. 
  7. Não se prenda a um relacionamento furado como salvação da sua vida. Vá ser feliz, minha filha!  
  8. Lembre-se: sempre é tempo de girar os pratos. Seja com 30, 50 ou 70. Não é o fim do mundo chegar aos 30 sozinha.  
Não há motivo pra desespero, miagent! Tenha foco, olhe um pouco da sua história (olha quanta coisa legal você já fez!) e keep calm. Everything is gonna be alright.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Mapa da Piriguetchyação através do Horóscopo Parte III

Chegamos ao fim da nossa série de pegação no zodíaco!

As dicas astrais do Manual das piriguetchy de hoje são para quem está investindo em sagitarianos, capricornianos, aquarianos e piscianos. 

Quer rabiscar um cafuçu de outro signo? Leia também a parte I e a parte II.

Bruno Gissoni: todas faz o Iran de Avenida Brasil

O rabisco de sagitário (Desde o 22 de novembro até o 21 de dezembro) – O sagitariano é aquele rabisco da relação casual. Eu diria até que este é o signo do pau amigo, sabe?! Aquele cafuçu pra bater um papo, tomar uns chopps, rir bastante e acabar na cama com um sexo gostoso. Têm boa pegada, mas fogem de compromisso. (é claro que ninguém está livre de se apaixonar, minha gente, mas é só pra ficar esperta no jeitinho sagitariano). O bom é que ele é muito franco das intenções dele e aí, você minha periga pode continuar rodando seus pratos pelo zodíaco. Outro ponto bacana é que o sagitariano é direto. Se ele está a fim de você, vai demonstrar, te chamar para sair e cumprir todo aquele "hehehe" que a gente espera. Não é bicho preguiça, não. Para a periga que está investindo num sagitariano, saiba que ele é meio estouradinho também. Essa coisa de ser meio homem meio cavalo, vocês estão ligadas? Então se você for muito sensível... No mais, posso dizer que eles são agradáveis, gostam de viajar, comer bem, tem aquele espírito aventureiro e são boêmios. Acho que para se divertir na pegação: bons rabiscos!

Pirigas mais apropriadas: Arianas, leoninas, capricornianas e taurinas se dão muito bem girando um prato sagitariano. Agora, pirigas de câncer, aquário, peixes e gêmeos: os astros não aconselham, não. Meninas, olhem o mapa astral da piriguetchyação e partam para outros boys!
Thiago Lacerda: capricorniano cafuçu do bem













O rabisco de capricórnio (Desde o 22 de dezembro até o 20 de janeiro) – O capriconiano é um cafuçu "certinho". São discretos, um pouco tímidos, não são do tipo que estão por aí na pista chegando em todo mundo. Tem um plus sexual no capricorniano que eu acho que vale a pena destacar. Todo mundo sabe que no sexo, quanto mais intimidade melhor, mas olha o capricorniano é o realmente bom nisso: se aperfeiçoa mesmo a cada transa. Apostem no maior número de dates e vocês não vão se arrepender. O rabisco capricorniano é o que mais busca uma namorada, não porque seja romântico, mas porque eles curtem relações estaveis. Se não tiver namorando, pelo menos vai ser aquele prato certo da sua cristaleira. 


Pirigas mais apropriadas: Virginianas, taurinas, aquarianas e piscianas têm uma química boa com o capricorniano. As pirigas dos signos de fogo - áries, leão e sagitário - ficam um pouco entediadas.
Malvino Salvador: o aquariano que faz a gente suspirar
O rabisco de aquário (Desde o 21 de janeiro até o 19 de fevereiro) – Os aquarianos são tidos como liberais. Mais do que um rabisco pau amigo, é aquele rabisco para fazer uma coisa diferente na cama, vocês me entendem? Não são ciumentos, mesmo super apaixonados, prezam a liberdade da piriga como prezam a sua. É aquele rabisco moderninho e procuram perigas moderninhas também. Para as pirigas românticas ( temos amor no coração também, né, gente), o aquariano pode parecer um pouco frio. De fato, eles não são de expressar muito sentimentos e eles são teimosos.. lembram um pouco os taurinos. 

Pirigas mais apropriadas: As leoninas, sagitarianas, taurinas e capricornianas podem se jogar. Cilada para as cancerianas, escorpianas e geminianas.
Thiaguinho: pisciano romântico
O rabisco de peixes (Desde o 20 de fevereiro até o 20 de março) – O rabisco pisciano é romântico de natureza. São sensíveis, calmos, compreensíveis. Passam esse clima de romance também para a cama. Não quer dizer que não sejam capazes de um sexo only night ou um sexo selvagem, mas são carinhosos. Piscianos são criativos e têm uma imaginação boa, sexualmente falando é bom, hein, pirigas. No geral, aquela piriguetchy que gosta de pegar e se apegar curte muito um pisciano. É um bom prato que pode até virar namorado rapidinho. Só que esse lance de ser sensível é um lado que requer paciência se você não tem essa vibe, se cansa. 

Pirigas mais apropriadas: Geminianas, librianas, aquarianas e virginianas todas se encantam por ele. Pirigas de escorpião e câncer são aquelas que não têm muita paciência para as questões emocionais do pisciano.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...